Pages Navigation Menu

Cruzeiros de A à Z


Como evitar epidemias em cruzeiros

Toda temporada de cruzeiros temos notícias de epidemias a bordo de navios. Epidemia se caracteriza pela incidência, em curto período de tempo, de grande número de casos de uma doença. Pessoas ficam doentes a todo tempo e nos navios isso não é diferente, a preocupação com epidemias em cruzeiros é que, por se tratar de um ambiente confinado e com muitas pessoas, a transmissão de doenças fica facilitada.

Como evitar epidemias em cruzeiros

As epidemias mais comuns nos navios são as de problemas gastrointestinais, mas há também registros de casos de gripe. A transmissão do vírus em ambos os casos ocorre por problemas de higiene. Antes que você comece a questionar a falta de higiene nos navios, pense nos seus hábitos.

As operadoras de cruzeiros tem normas rígidas quanto ao padrão de higiene na manipulação de alimentos e também na limpeza dos ambientes, mesmo que algum tripulante cometa um deslize, não será pior do que muitos dos locais públicos que frequentamos por aí.

Um estudo feito nos Estados Unidos, em 2009, pelo CDC (Centro de Controle e Prevenção de Doenças) com navios de diversas companhias mostra que a higiene dos banheiros de uso comum é o provável responsável pelas epidemias, mas que o nível de limpeza não era muito diferente da realizada em hospitais que tratam de casos graves, o que reforça a ideia de que a higiene feita nos banheiros dos navios pode ser considerada adequada. O principal problema e o que facilita a contaminação é o confinamento e os hábitos pessoais

Como acontece a contaminação em cruzeiros

Os vírus embarcam no navio com uma ou mais pessoas e são transmitidos pela água, na manipulação de alimentos ou no contato direto com a pessoa. E qualquer um pode estar contaminado, isso inclui os bebês!

De acordo com o CDC a contaminação pelo norovírus pode ocorrer

  • Ao comer alimentos ou beber líquidos infectados com os norovírus
  • Ao tocar superfícies ou objetos infectados com o norovírus e depois tocar a própria boca, nariz ou olhos
  • Ao ter contato de pessoa a pessoa com alguém infectado ao:
    • estar presente enquanto alguém está vomitando
    • dividir comida ou comer usando os mesmos talheres
    • cuidar de uma pessoa doente
    • apertar as mãos de alguém
  • Deixando de lavar as mãos depois de usar o banheiro ou trocar fraldas, e antes de comer ou preparar alimentos.

O instituto Oswaldo Cruz diz que 99,9% dos surtos de gastroenterites em navios são causados pelo norovírus. Ele tem alta infecciosidade: apenas uma partícula viral é necessária para infectar uma pessoa. O contato com o aerossol do vômito de uma pessoa infectada, por exemplo, pode ser suficiente para a transmissão. Além disso, tem alta resistência, permanecendo em superfícies com as quais uma pessoa infectada teve contato, o que torna o compartilhamento de espaços e objetos um problema.

Por mais limpos e higienizados que os banheiros de uso comum do navio sejam, se você usou logo após alguém que está contaminado terá grandes chances de se contaminar também.

Portanto ser infectado ou não depende muito dos seus hábitos de higiene

Porque ocorrem tantos casos de infecção por norovírus em navios?

  1. As doenças ocorridas em navios de cruzeiro contam com acompanhamento por organizações oficiais de saúde. Portanto, surtos são descobertos e relatados mais rapidamente num navio de cruzeiro do que em terra firme.
  2. Ambientes confinados aumentam o contato entre grupos humanos.
  3. Passageiros recém-chegados podem trazer o vírus para os outros passageiros e para a tripulação.

Como evitar epidemias em cruzeiros

A resposta é simples e básica: lave as mãos com frequência. Principalmente ao usar o banheiro.

Só isso? Não! Não adianta lavar as mãos e por exemplo pegar na maçaneta para abrir a porta… Depois de lavar as mãos, use papel toalha para tocar em qualquer parte do banheiro, seja a torneira ou a maçaneta da porta.

Além disso lave as mãos antes das refeições e no caso de surtos evite apertar as mãos das pessoas, ao cumprimentá-las. O uso de álcool gel, na impossibilidade de lavar as mão também é recomendado.

Dicas do CDC para a lavagem das mãos

Lave suas mãos depois de

  • Usar o banheiro
  • Tossir ou espirrar
  • Exercer qualquer atividade que possa envolver mãos

Lave suas mãos antes de

  • Manusear comida
  • Comer ou beber
  • Fumar
  • Escovar dentes
  • Exercer qualquer atividade que envolva contato da boca com a mão.

Ao voltar ao seu camarote, sempre lave as mãos.
Lave as mãos com freqüência durante o dia, mesmo quando achar que não é necessário lavá-las.

Lave suas mãos usando o seguinte procedimento

1. Molhe as mãos com água morna.

2. Aplique uma quantidade generosa de sabão e ensaboe bem as mãos.

3. Esfregue as mãos juntas por 20 segundos, prestando atenção especial às áreas entre os dedos e debaixo das unhas.

4. Enxágue bem as mãos com água morna.

5. Seque as mãos com uma toalha de papel descartável.

6. Use a toalha descartável para fechar a torneira e abrir a porta.

A ilustração mostra como as mãos devem ser lavadas

como lavar as mãos

E essas regras não são válidas apenas a bordo, nas paradas também! Pois você pode ser contaminado fora do navio e trazer o norovírus a bordo!!!

Outras dicas para evitar a contaminação fora do navio

  • Não beba água de procedência desconhecida, se não houver água mineral na garrafa ou copinho, opte pelo refrigerante.
  • O mesmo vale para o gelo! Prefira tomar a bebida na temperatura ambiente, o gelo pode ter sido feito com água contaminada.
  • O mesmo vale para os sucos naturais. Prefira os de caixinha.
  • Evite alimentos crus, como folhas e frutas.
  • Não coma ovos mal passados.

O que fazer se ficar doente durante o cruzeiro

A primeira providência é comunicar aos médicos do navio sobre a sua condição. Os casos de infecção causados por norovírus são altamente contagiosos, mas geralmente não são graves. Ocorre vômito e diarreia e os sintomas somem em um ou dois dias.

Em casos de epidemia, as pessoas afetadas tanto tripulante quanto passageiros, são atendidas pelos médicos a bordo, ficam em isolamento e outras medidas são tomadas para evitar o contágio de um número maior de pessoas.

No caso de problemas gástricos além de comunicar a equipe médica, mantenha-se hidratado e lave as mãos com frequência.


Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *